CEBAL pretende dinamizar a fileira pelo valor das águas residuais do setor dos laticínios

O Centro de Biotecnologia Agrícola e Agro-Alimentar do Alentejo (CEBAL) iniciou um novo
projeto de transferência de conhecimento científico e tecnológico intitulado “LactoMTeC –
Tecnologia de Membranas na valorização sustentável de efluentes do sector dos Lacticínios”.
O projeto visa agregar o conhecimento, a tecnologia e a experiência para uma resolução
prática de problemas associados à gestão de efluentes do setor dos lacticínios, e em
simultâneo alavancar o uso dos seus subprodutos de alto valor nutricional, como a proteína e
a lactose.
As realidades produtivas da fileira do queijo em articulação com as necessidades ambientais e
ecológicas no tratamento de efluentes, evidenciaram o papel preponderante que as dinâmicas
de transferência de tecnologia aportam à sustentabilidade e inovação do setor, surgindo assim
o LactoMTec.
De acordo com a equipa do projeto LactoMTec: “É a Ciência em Movimento para um Alentejo
mais Inovador!”
Focando ao nível da tecnologia, o projeto pretende explorar duas grandes vertentes: 1) o
tratamento das águas residuais possibilitando o seu descarte ou a sua reutilização numa
abordagem “fit-for-purpose”, de acordo com o atual quadro legal; e 2) a valorização de
subprodutos provenientes dessas mesmas águas, na ótica do resíduo como um recurso,
recuperando nutrientes de alto valor, como a proteína, lactose, vitaminas e minerais, elevando
aqui os conceitos da Bioeconomia Circular.
O projeto “LactoMTec” (ALT20-03-0246-FEDER-000073), iniciado em novembro de 2020 e com
término previsto para outubro de 2022, é parte integrante do programa estratégico de
Potenciação de Transferência de Tecnologia do CEBAL, sendo cofinanciado pelo Programa
Operacional Regional do Alentejo – Alentejo 2020, no âmbito do Sistema de Apoio a Ações
Coletivas – Transferência do Conhecimento Científico e Tecnológico.