Leite de mães vacinadas tem células de memória contra o SARS-CoV-2

Use as ferramentas de partilha que encontra na página de artigo.
Todos os conteúdos do PÚBLICO são protegidos por Direitos de Autor ao abrigo da legislação portuguesa, conforme os Termos e Condições.Os assinantes do jornal PÚBLICO têm direito a oferecer até 6 artigos exclusivos por mês a amigos ou familiares, usando a opção “Oferecer artigo” no topo da página. Apoie o jornalismo de qualidade do PÚBLICO.

Uma equipa liderada por Helena Soares comprometeu-se com a seguinte missão: desmontar a desinformação por detrás da amamentação dada por mães vacinadas contra a covid-19. Portanto, nada melhor do que analisar o que estava mesmo em questão – o leite materno. Outras investigações já tinham mostrado que o leite de mães vacinadas tinha anticorpos contra o coronavírus SARS-CoV-2, mas o grupo português foi ainda mais longe. Além de aí ter detectado esses anticorpos, identificou linfócitos T específicos da vacina (células imunitárias de memória), que podem ser transmitidos ao bebé e potencialmente dar-lhes uma protecção de longa duração contra o vírus. Os resultados desta missão foram agora publicados na revista científica Cell Reports Medicine.

https://www.publico.pt/2021/12/03/ciencia/noticia/leite-maes-vacinadas-celulas-memoria-sarscov2-1984782?utm_content=Reservado&utm_term=Reservado+ao+Publico&utm_campaign=59&utm_source=e-goi&utm_medium=email