Projeto Reservas da Biosfera lança ferramenta para envolvimento cidadão

No dia 28 de julho, dia Nacional da Conservação da Natureza, o projeto Reservas da Biosfera: Territórios Sustentáveis, Comunidades Resilientes e Cátedra UNESCO em Biodiversidade e Conservação para o Desenvolvimento Sustentável, lançou uma ferramenta participativa e versátil que pretende contribuir para o conhecimento da natureza e dos serviços dos ecossistemas nacionais.

Da água aos alimentos, do clima às atividades recreativas na natureza, os serviços dos ecossistemas estão presentes no quotidiano e para o bem-estar da população. A plataforma permite a partilha das perceções e uma reflexão sobre como conservar os territórios – nomeadamente, as Reservas da Biosfera nacionais.

Dinamizada pelo Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra, com a colaboração da Universidade de Bergen da Noruega, parceiros ativos do projeto Reservas da Biosfera: Territórios Sustentáveis, Comunidades Resilientes, esta ferramenta espera alcançar o maior número de pessoas possível com o objetivo de perceber a identificação e mapeamento que elas fazem dos serviços dos ecossistemas das Reservas da Biosfera portuguesas.

A conservação do património natural e cultural das Reservas da Biosfera é vital para a sustentabilidade dos territórios e das suas comunidades. Estes autênticos laboratórios vivos de biodiversidade e desenvolvimento sustentável posicionam o nosso país na vasta rede de Reservas da Biosfera da UNESCO, espalhada por todo o mundo. Este projeto é um meio para que todos os cidadãos possam contribuir com o seu conhecimento, através do acesso à plataforma.

Poderá participar através deste link.

As Reservas da Biosfera são territórios designados pela UNESCO pelo seu património natural e cultural, e têm um papel relevante na conservação da biodiversidade, em harmonia com o desenvolvimento sustentável. Em Portugal, existem 12 Reservas da Biosfera da UNESCO: 6 no continente (Boquilobo, Gerês-Xurés, Tejo internacional, Meseta Ibérica, Castro Verde e Berlengas), 4 no arquipélago dos Açores (Corvo, Graciosa, Flores e Fajãs de São Jorge) e 2 no arquipélago da Madeira (Santana e Ilha de Porto Santo).