Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento adia espectáculos em Lisboa e Porto para 2022

Devido ao actual estado de emergência que obrigou ao encerramento das salas de espectáculo, os concertos do Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento e convidados, que esgotaram a Casa da Música, no Porto, e o Centro Cultural de Belém, em Lisboa, e teriam lugar no início de Fevereiro, foram re-agendados para Março e Abril de 2022 (consultar datas abaixo). Os bilhetes previamente adquiridos ficam automaticamente válidos para os espectáculos do próximo ano.

LISBOA 

05 Fevereiro 2021, 21h00 – NOVA DATA: 1 Abril de 2022, 21h00
07 Fevereiro 2021, 16h00 – NOVA DATA: 3 Abril de 2022, 16h00
06 Fevereiro 2021, 21h00 – NOVA DATA: 2 Abril 2022, 21h00

PORTO

21 Fevereiro 2021, 16h00 – NOVA DATA: 26 Março 2022, 21h00

Inicialmente previstos para Março de 2020, os concertos do Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento já sofreram mais do que um adiamento, resultado da evolução da pandemia mas também por se tratar de um grupo de risco, se tivermos em conta a conta a média de idades dos seus participantes. A situação é alheia à organização, que agradece a compreensão do público.

Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento, criado há 33 anos, é herdeiro de uma longa tradição há muito reconhecida na região como “terra de bons cantadores”. O grupo, com idades compreendidas entre os 16 e os 93 anos, representa com distinção o Cante Alentejano – considerado em 2014 Património Cultural e Imaterial da Humanidade pela UNESCO – e concebeu um concerto pensado como uma celebração, que irá decorrer no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, em três datas esgotadas, e na Casa da Música, no Porto, com data igualmente esgotada.

Desde a fundação em 1986, o Rancho não mais cessou a sua actividade, que tem prestigiado a sua vila, região e país através de actuações um pouco por todo o mundo, do Brasil, aos EUA, da China (Macau), à Alemanha, passando por diversos países europeus como Espanha, França e Bélgica. Paralelamente tem actuado em palcos nacionais, como os Coliseus, Culturgest ou o Teatro Nacional de São Carlos. Desafiado por António Zambujo, o Rancho de Cantadores gravou em 2016 um álbum homónimo, que atingiu o Galardão de Ouro, produzido por Ricardo Cruz, que retrata de maneira exemplar o seu percurso, princípios e valores mas sobretudo a qualidade dos seus intérpretes, evidenciando a coesão e força que se funde humilde e harmoniosamente na unidade do grupo.

São continuadores de uma antiga tradição que terá surgido na agricultura, quando grupos de homens e mulheres humanizavam a sua faina entoando, em conjunto, as belas modas do cancioneiro alentejano. Cantavam não só a dureza da vida mas também a beleza da natureza envolvente. Com o desaparecimento da agricultura extensiva, o cante adaptou-se a esta nova situação, tornou-se outro, cantando uma realidade que já não existia, passando assim de vivencial a evocativo e subsistindo, sobretudo, no local onde os homens se podiam juntar: a taberna. Foi numa taberna, à volta de uma garrafa de vinho, que um grupo de amigos cantando, e bem, as modas desta terra, se organizou para criar o Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento.